Carta do Futuro | Consultas & Cursos Espiritualidade | Moods by Filomena Claro
A promover o bem-estar fisico, mental e espiritual.
bem-estar, saúde mental, espirito, mente, novo estilo de vida, lifestyle, ar livre, felicidade
18703
post-template-default,single,single-post,postid-18703,single-format-standard,theme-bridge,bridge-core-2.2.6,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,columns-4,qode-theme-ver-21.3,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.2.0,vc_responsive
 

Carta do Futuro

Carta do Futuro

O grande marco histórico que nos permite estar aqui hoje, como Humanidade que conhecem, ocorreu muitos anos atrás.

No inicio deste milénio, nós Anciães assistimos e vivemos um período verdadeiramente desafiante quando um vírus (pequeno agente infeccioso) chamado covid-19 se espalhou pelo Planeta e atingiu toda a população mundial em escassos 6 meses.
O nivel de contágio era tão elevado que foram necessárias medidas extremas.
As populações foram obrigadas a refugiarem-se em suas casas, sem saberem se estavam contaminadas ou não.
As deslocações entre países foram interrompidas, algumas fronteiras encerradas.
Os hospitais começaram a ficar sobrelotados e sem meios, os profissionais de saude esgotados e alguns contaminados também. O tratamento já não escolhia ricos e pobres.
Apenas as empresas essenciais permaneceram a funcionar.
De um dia para o outro a maior parte das grandes cidades tinham-se transformado em fantasmas.
As economias dos várias países entraram em colapso.
Foram tempos de insegurança, medo, incerteza e a Humanidade voltou por momentos aos seus instintos básico (entre fugir ou atacar prevaleceu atacar).
Muitos partiram por incapacidade de resistir à doença ou por escolha.
Os que ficaram foram obrigados a adaptar-se.
Confrontadas com a obrigação de permanecer em casa, as pessoas foram empurradas a olhar para dentro de si, a olhar os filhos, parceiros, pais, irmãos e aprender a compreender-se e compreender os que estavam ao seu lado.
Aprenderam a conhecer o vizinho e a comunidade à sua volta.
Aprenderam a unir-se para sobreviver.
A partilha, a troca, a atenção ao outro começou a crescer e já não havia como voltar atrás. ” O outro precisa de mim como eu preciso do outro”.
Como os bens começaram a escassear e as empresas já não tinham como recuperar muitas coisas desapareceram.
Só que a natureza, que em eventos anteriores, tinha destruído tudo, desta vez preservou o reino mineral, vegetal e animal na esperança de que as pessoas acordassem e vissem o potencial à sua volta.
E as pessoas começaram a perceber que a natureza tinha como ajudá-los a recuperar, a curar, a nutrir.
Gradualmente começaram a produzir os seus próprios alimentos, a partilhá-los com os vizinhos…
À medida que interagiam mais com a Natureza começaram a compreendê-la e torná-la sua aliada.
A alimentação começou a ser mais saudável.
A medicação feita com ervas directamente da Natureza e sem químicos passou a ser privilegiada.
Depois se serem obrigados a improvisar a educação, pais, professores e alunos descobriram novas formas de ensino e já não havia como voltar atrás.
Obrigadas a ficar em casa as pessoas começaram a ler mais, a tornarem-se mais cultas e os meios de comunicação foram obrigados a mudar de paradigma e passar a ser promotores de conhecimento.
Grande parte do trabalho afinal podia ser feito à distância e à medida que se foi acreditando nessa solução os grandes edifícios foram substituídos por grandes parques e zonas verdes e as cidades tornaram-se menos poluídas.
Por tudo isto, nós Anciães, que vivemos em ambos os tempos e partilhamos convosco este momento da história da Humanidade, agradecemos hoje a Gaia, a toda a Natureza e à Humanidade que se sacrificou, a forma sábia e amorosa que usou para nos resgatar.
E agradecemos a todos vós Crianças nesse tempo, a mensagem da Nova Terra que transmitiram de forma tão sábia

🌈ANDRÀ TUTTO BENE 🌈